segunda-feira, 28 de março de 2016

Farmacêutica formada no UNIFESO ingressa em mestrado na Fiocruz
A farmacêutica Ticiana Santa Rita, graduada pelo Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO) em 2014 conseguiu dar um importante passo na carreira profissional ao conquistar a aprovação no concurso para o mestrado do programa de pós-graduação da Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz. Em seu trabalho de pesquisa, Ticiana quer realizar um resgate histórico da profissão.
“O meu trabalho está ligado à linha de pesquisa: história das políticas, instituições e profissões em saúde, sob a orientação da professora Tânia Salgado Pimenta, e vai abordar as atividades de práticas em farmácia no início do período republicano, na periferia da cidade do Rio de Janeiro”, explicou.
Além de muito empenho e determinação, Ticiana destacou que contou com muito apoio durante a graduação para seguir pelo campo da pesquisa. “A minha formação no UNIFESO foi muito importante, principalmente pela qualidade dos professores e sua preocupação em nos incentivar na busca de informações além do curso, mostrando a vasta possibilidade de caminhos existentes e que é sempre possível percorrê-los, bastando dedicação e seriedade. Esta conquista é, acima de tudo, a realização de um sonho e o primeiro passo para construção da minha carreira de pesquisadora”, afirmou a Ticiana.

Legenda:
Foto Farmacêutica Ticiana Santa Rita
Ticiana Santa Rita, ex-aluna do UNIFESO: aprovada para mestrado do programa de pós-graduação da Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz

quinta-feira, 24 de março de 2016

Software do UNIFESO agiliza combate à dengue em Teresópolis
 
O combate à dengue em Teresópolis está contando com o apoio de um programa de computador desenvolvido pelo Centro de Ciência e Tecnologia (CCT) do Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO) que garante maior eficiência aos trabalhos. O software chamado VigDengue consegue realizar uma avaliação mais completa sobre as áreas em que há notificações, proporcionando  agilidade às ações para conter o avanço da doença. Diante do aumento expressivo no número de casos suspeitos, o setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde considera esse auxílio fundamental.
 
O Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) é a única ferramenta que o Ministério da Saúde oferece aos municípios e estados para que sejam registrados os casos suspeitos de dengue, porém não disponibiliza a pesquisa e o acompanhamento de dados que o VigDengue permite.
 
“Pelo Sinan só conseguimos tirar listagem com nomes, mas com o Vigdengue podemos filtrar por bairro, por idade e até os sintomas, porque às vezes temos fichas que não se enquadram em casos suspeitos e o programa sinaliza. Ele direciona o que é preciso fazer, e nos indica a necessidade de capacitar a primeira assistência, caso não estejam sabendo identificar a dengue”, explicou Benisia Maria Barbosa Cordeiro, enfermeira do setor de Vigilância Epidemiológica.
 
“O VigDengue atende muito bem às nossas necessidades. Eu não vejo nenhum dado a mais que pudesse ser inserido para a nossa realidade, ele atende a tudo. Nós conseguimos saber imediatamente os números da dengue, focos, se é da cidade ou se não é. Alimentando o programa, ele dá conta de tudo e em gráficos, o que torna muito mais fácil a compreensão dos dados”, destacou Rodrigo Couto, diretor do Departamento de Higiene e Saúde Coletiva (DHSC).
 
O programa foi idealizado por Leonardo de Oliveira Jasmim, ex-aluno do curso de Ciência da Computação do UNIFESO, que trabalha na Secretaria Municipal de Saúde e verificou a necessidade de um sistema para agilizar o trabalho dos profissionais que tinham dificuldades em gerar relatórios com o grande número de tabelas e planilhas separadas.
 
“Analisamos nas fichas o que seria mais importante para formar indicadores de epidemiologia para apontar atitudes ou  sinalizar para o gestor e fomos acrescentando. Ele foi feito na prática, desenvolvido em meio ao trabalho e ajuda a encaminhar a ação certa em cada caso”, afirmou a enfermeira Benísia Cordeiro.
 
O VigDengue está em uso pelos técnicos municipais desde 2014, através de uma parceria com o UNIFESO, permitindo o acompanhamento com informações mais precisas e com o apoio de gráficos. Os membros da Vigilância Epidemiológica consideram que o programa deixa Teresópolis à frente da maioria dos municípios do Brasil em relação ao combate à dengue.


Legenda:
Foto VigDengue
VigDengue: software do UNIFESO é utilizado pelo setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde

Hoje foi um dia muito especial. Iniciamos a gravação do documentário dos 50 anos da FESO. Dentro deste evento houve uma comemoração especialíssima: os 90 anos do Prof. Cézar Elias - tão admirado e querido. Obrigada por nos ensinar sobre Biofísica e sobre a vida. Amar, viajar e ler, disse hoje nosso aniversariante, os verbos eleitos para o bem viver. Mais generosidade e muito menos egoísmo.‪#‎somostodosunifeso‬